O seu browser não é compatível com a plataforma S-Alerta Cidadão. Por favor aceda utilizando outro browser.

Perguntas Frequentes

S-Alerta Cidadão
Através do endereço: https://s-alerta.pt/cidadao

a) Para aceder a informações sobre Isolamento de Casos Positivos e Quarentena de contactos diretos;

b) Para registar pessoas que tiveram contacto direto com um caso positivo, para que estas possam realizar um Teste Rápido Antigénio ao 5º dia (sem custos), no caso dos cidadãos não vacinados ou com vacinação incompleta (sem a dose de reforço);

c) Para obter os seguintes documentos:

- Declaração de Recuperado (válido para casos COVID-19 positivos). Este documento é emitido após o isolamento, caso o cidadão não apresente sintomas. Ao 6º dia, o cidadão recebe um SMS com um PIN que dará acesso a este documento

Caso não receba este documento de forma automática, pode efetuar o pedido através da área “CONTACTE-NOS”, da plataforma S-Alerta Cidadão.

- Certificado de Incapacidade Temporária (Baixa médica para casos COVID-19 recuperados). Caso necessite de obter este documento, deve aceder à área “CONTACTE-NOS” (Disponível no S-ALERTA CIDADÃO), selecionar o seu concelho da área de residência e indicar os seguintes dados: NOME; NÚMERO DE UTENTE; NÚMERO DE IDENTIFICAÇÃO DA SEGURANÇA SOCIAL (NISS); INDICAÇÃO DO PERÍODO DE ISOLAMENTO.

Este documento também pode ser solicitado para assistência a filho ou a neto menor (até 11 anos) na sequência de um teste positivo à COVID-19.

- Declaração de Isolamento Profilático Face às novas medidas, a partir do dia 1 de fevereiro, a Declaração de Isolamento Profilático deixa de ser emitida uma vez que finda o isolamento de contactos.

Para proceder ao registo, necessita de (1) introduzir o número de utente da pessoa que teve em contacto (número de saúde que se encontra no verso do cartão de Cidadão, e (2) introduzir o “PIN” que recebeu através de uma mensagem (telemóvel), quando obteve a informação do resultado positivo pelas Autoridades de Saúde.

Não. As funcionalidades do S-Alerta Cidadão estarão também disponíveis para os visitantes/turistas.

a) Através do endereço: https://s-alerta.pt/CIDADAO/

b) Na identificação de visitantes/turistas, o número de SAÚDE, o número de ID ou PASSAPORTE permitirão aceder às funcionalidades da ferramenta;

Isolamento de casos positivos e quarentena para contactos

De acordo com as regras em vigor a partir do dia 16 de março de 2022, existem as seguintes situações:

(1) Casos Positivos, com sintomas, que exige sempre isolamento. Não fazem teste à COVID-19 para retomar a vida habitual.

(2) Casos Positivos, sem sintomas, são dispensados de isolamento. Não fazem teste à COVID-19 para retomar a vida habitual. Nestes casos, é recomendado o uso de máscara em todos os contactos, em espaços abertos ou fechados, inclusive no seu domicílio, durante 10 dias, bem como o cumprimento das regras em vigor (higienização das mãos e distanciamento físico).

Excecionam-se as seguintes situações:

- Profissionais das áreas da Saúde, Social, Educação e Proteção Civil;

- Crianças e Jovens, em qualquer nível de ensino, incluido Creches e Jardins de Infância;

- Utentes institucionalizados.

Estes cidadãos devem cumprir 5 dias em isolamento, devendo retomar a atividade ao sexto dia.

(2) Contactos com caso positivo que, independentemente da idade ou do estado vacinal não fazem isolamento.

(2.1) Cidadãos com vacinação completa (com dose de reforço – 3 doses da vacina) que tenham tido contacto com caso positivo não fazem isolamento nem teste rápido antigénio ao 5º dia;

(2.2) Cidadãos não vacinados ou com vacinação incompleta que tenham tido contacto com caso positivo não fazem isolamento, mas realizam teste rápido antigénio ao 5º dia. Neste caso, importa relembrar que estes cidadãos devem assegurar que o caso positivo com quem tiveram contacto procedeu ao registo dos seus dados na plataforma S-Alerta Cidadão.

Tem sintomas

Deve ficar em isolamento durante o período mínimo de 5 dias;

Se estiver sem sintomas, ao 6º dia retoma a atividade essencial, cumprindo as normas em vigor. O uso de máscara é obrigatório, por mais de 5 dias, em todos os contactos com outras pessoas. Deve evitar contactos e convívios sociais.

Se continuar com sintomas, deverá permanecer em isolamento até o desaparecimento de sintomas.

É muito importante fazer o registo das pessoas com quem teve contacto direto no S-Alerta Cidadão.


Não tem sintomas?

Se não apresentar sintomas, não faz isolamento isolamento, devendo, contudo, usar máscara em todos os contactos, em espaços abertos ou fechados, inclusive no seu domicílio, durante 10 dias, bem como cumprir as regras em vigor (higienização das mãos e distanciamento físico). Deve evitar contactos e convívios sociais.

Dos casos positivos assintomáticos, dispensados de isolamento, excecionam-se as seguintes situações:

- Profissionais das áreas da Saúde, Social, Educação e Proteção Civil;

- Crianças e Jovens, em qualquer nível de ensino, incluindo Creches e Jardins de Infância;

- Utentes institucionalizados.

Estes cidadãos devem cumprir 5 dias em isolamento, devendo retomar a atividade ao sexto dia.

Não faz isolamento, independentemente da idade ou estado vacinal.

Se já fez três doses de vacina contra a COVID-19, não faz isolamento nem realiza teste rápido antigénio ao 5º dia. O uso de máscara é obrigatório, durante 10 dias, em todos os contactos com outras pessoas.

Se não tem esquema vacinal completo (com dose de reforço), não faz isolamento, mas realiza teste ao 5º dia. O uso de máscara é obrigatório, durante 10 dias, em todos os contactos com outras pessoas.

De acordo com as regras em vigor a partir do dia 16 de março de 2022, as crianças que testem positivo, com ou sem sintomas, independentemente da idade, em qualquer nível de ensino, inclusive creches e jardins de infância, cumprem 5 dias em isolamento.

Uma criança que teste positivo à COVID-19, fica 5 dias em isolamento e, se não apresentar sintomas, ao 6º dia retoma a atividade escolar.

De acordo com as novas regras em vigor a partir do dia 1 de fevereiro, todos os cidadãos que tenham tido contacto com caso positivo nos vários contextos (por exemplo familiar e escolar), não fazem isolamento, independentemente da idade e do estado vacinal, inclusive as crianças.

a) Respeite as recomendações anteriores.

b) Cumpra com as medidas gerais de prevenção.

c) Tenha atenção o esquema vacinal recomendado de acordo com a idade. Caso o seu familiar não tenha a vacinação completa, deve realizar teste rápido antigénio ao 5º dia.

Aos visitantes/turistas, aplicam-se as mesmas orientações dos residentes.

O isolamento de casos positivos, com sintomas, conta a partir do dia em que o cidadão recebe o resultado do teste positivo para COVID-19.

De acordo com as regras em vigor a partir do dia 16 de março de 2022, caso o cidadão não apresente sintomas, não faz isolamento, devendo, contudo, usar máscara em todos os contactos, em espaços abertos ou fechados, inclusive no seu domicílio, durante 10 dias, bem como cumprir as regras em vigor (higienização das mãos e distanciamento físico). Deve evitar contactos e convívios sociais.

Dos casos positivos assintomáticos, dispensados de isolamento, excecionam-se as seguintes situações:

- Profissionais das áreas da Saúde, Social, Educação e Proteção Civil;

- Crianças e Jovens, em qualquer nível de ensino, incluindo Creches e Jardins de Infância;

- Utentes institucionalizados.

Estes cidadãos devem cumprir 5 dias em isolamento, devendo retomar a atividade ao sexto dia.

A partir do dia 1 de fevereiro os contactos com casos positivos não fazem isolamento.

O uso de máscara é obrigatório, durante 10 dias, em todos os contactos com outras pessoas.

Se em qualquer momento apresentar sintomas associados à COVID-19 – FEBRE igual ou superior a 38º, independentemente do seu estado vacinal, pode solicitar um teste rápido antigénio gratuito num dos Postos Aderentes. Clique aqui para efetuar pedido.

Os cidadãos não vacinados ou com vacinação incompleta que tenham tido contacto com caso positivo não fazem isolamento, mas fazem teste ao 5º dia. (Neste caso, não é necessário submeter pedido de acesso ao teste, uma vez que é enviado 1 PIN por mensagem).

Os cidadãos com vacinação completa (com dose de reforço – 3 doses da vacina) que tenham tido contacto com caso positivo não fazem isolamento, nem teste ao 5º dia.

Não. Os autotestes não são válidos para diagnóstico. Caso tenha um autoteste positivo, deve validar com a realização de um teste rápido antigénio num dos postos aderentes.

Se em qualquer momento apresentar sintomas associados à COVID-19 – FEBRE igual ou superior a 38º, independentemente do seu estado vacinal, pode solicitar um teste rápido antigénio gratuito num dos Postos Aderentes. Clique aqui para efetuar pedido.

Deve contactar a linha SRS24 (800 24 24 20). Esta linha é especialmente dedicada a estas situações.

Os cidadãos que testarem positivo à COVID-19, irão receber diariamente informações e orientações por parte das Autoridades de Saúde, por mensagem (telemóvel).

Outras dúvidas podem ser esclarecidas preferencialmente através do seguinte e-mail: saudepublica.drs@madeira.gov.pt.

Não. Após recuperar da COVID, durante 3 meses não precisa de realizar teste. Neste período, só deve realizar teste se apresentar sintomas.

Aos casos positivos identificados a partir do dia 7 de janeiro, terminado o período de isolamento é enviado um link por SMS (para o telemóvel), através do qual, poderá aceder ao certificado de recuperação.

Após o isolamento, caso não receba o link no seu telemóvel, deve aceder à área “CONTACTE-NOS” (Disponível no S-ALERTA CIDADÃO), selecionar o seu concelho da área de residência e efetuar o seu pedido, informando os seguintes dados: NOME; NÚMERO DE UTENTE; NÚMERO DE IDENTIFICAÇÃO DA SEGURANÇA SOCIAL (NISS); INDICAÇÃO DO PERÍODO DE ISOLAMENTO.

Cumpra as recomendações das Autoridades de Saúde. Seja um verdadeiro Agente de Saúde Pública.